Por causa da pandemia, Guiné desiste de participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio - ISTOÉ Independente

A República de Guiné não participará dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, quando a delegação guineense deveria deixar a capital Conacri para viajar ao Japão. O ministro dos Esportes do país, Sanoussy Bantama Show, informou o Comitê Olímpico da Guiné (CNOSG) sobre a decisão do governo. Apenas cinco atletas competiriam […]

COMPARTILHE:

2021-07-22 05:16:16

Isto é

Esportes

Estadão Conteúdo

A República de Guiné não participará dos Jogos Olímpicos de Tóquio. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, quando a delegação guineense deveria deixar a capital Conacri para viajar ao Japão. O ministro dos Esportes do país, Sanoussy Bantama Show, informou o Comitê Olímpico da Guiné (CNOSG) sobre a decisão do governo. Apenas cinco atletas competiriam na Olimpíada.

O motivo oficial da desistência de mandar seus atletas para os Jogos Olímpicos é o surgimento de novas variantes do coronavírus. O governo do país africano entende que a saúde dos esportistas estaria em risco. No entanto, problemas financeiros também ajudam a justificar a renúncia de Guiné, que, segundo a imprensa local, não seria capaz de bancar a delegação no Japão.

Guiné tem uma pequena tradição em Jogos Olímpicos e mandou representantes em 11 edições do evento, sem conquista de medalhas. Fatoumata Yarie Camara (luta livre), Mamadou Samba Bah (judô), Fatoumata Lamarana Touré (natação), Mamadou Tahirou Bah (natação) e Aïssata Deen Conté (atletismo) seriam os atletas que representariam o país da África em Tóquio. A nação africana ficará fora dos Jogos pela terceira vez, depois de também não disputar a Olimpíada de Munique, em 1972, e a de Montreal, em 1976.

Guiné não é o primeiro país a deixar de competir em Tóquio. Coreia do Norte e Samoa tomaram decisões parecidas recentemente. Os norte-coreanos anunciaram em abril deste ano que não enviariam nenhum representante para os Jogos em virtude da pandemia de covid-19.

O governo da Samoa, pequeno país situado na Oceania, disse no início deste mês que três atletas não viajariam a Tóquio pelo mesmo motivo, mas liberou a participação de outros que moram no exterior.

COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Para comentar é preciso entrar no sistema.

Enviar