Depois de ser atacado por Bolsonaro por receber Lula, Macron dará maior honraria francesa a Randolfe Rodrigues

Vice-presidente da CPI da Covid receberá a Légion d’honneur em dezembro

COMPARTILHE:

2021-11-25 18:48:07

O Globo

BRASÍLIA — Após o encontro com o ex-presidente Lula há oito dias no Palácio do Eliseu, em Paris, o presidente da França, Emmannuel Macron, marcou a data de entrega da maior honraria francesa para um dos principais opositores de Bolsonaro, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro atacou Macron por ter recebido em Paris o ex-presidente Lula, seu provável adversário na eleição de 2022. Segundo Bolsonaro, a atitude do francês foi uma provocação.

Leia também:Relatório da CPI da Covid vai ser entregue ao Tribunal Penal Internacional

''É muito mais do que eu mereço e mais longe do que pensei chegar. A comenda não pertence a mim, mas sim às milhares de famílias brasileiras que tiveram um amor retirado de suas vidas pela pandemia da Covid-19!'', comentou Randolfe no Twitter.

Por conta da pandemia, Randolfe receberá a comenda Légion d’honneur, uma das mais altas honrarias do país francês, na Embaixada da França em Brasília em 6 de dezembro. O senador foi vice-presidente da CPI da Covid, que atribuiu nove crimes ao titular do Palácio do Planalto.

O presidente da França já teve embates com Bolsonaro em decorrência das políticas ambientais do Brasil, principalmente as ligadas à Amazônia. Na última cúpula do G20, em Roma, os dois líderes tiveram pouca interação. Bolsonaro também já fez ofensas à esposa de Macron em 2019.

— Em 2019 demos mais um passo para fazer um acordo comercial da União Europeia e Mercosul. O grande opositor a esse acordo é o presidente da França. Em parte nós concorremos com o que produzimos para o mundo, as commodities, coisas que vem do campo. Então Macron sempre foi contra a gente, e sempre bateu na questão da Amazônia, como se ele, seus antecessores tivessem preservado alguma coisa na França. Parece que é uma provocação, sim — afirmou Bolsonaro em entrevista à Rádio Sociedade da Bahia

Na última semana, Macron recebeu Lula em Paris com honras de chefe de Estado. Durante o encontro, um dos assuntos tratados entre Macron e o ex-presidente foi acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia, que está parado depois que líderes europeus pediram adendos com compromissos ambientais no texto.

O Globo, um jornal nacional: Fique por dentro da evolução do jornal mais lido do Brasil

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal

BRASÍLIA — Após o encontro com o ex-presidente Lula há oito dias no Palácio do Eliseu, em Paris, o presidente da França, Emmannuel Macron, marcou a data de entrega da maior honraria francesa para um dos principais opositores de Bolsonaro, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro atacou Macron por ter recebido em Paris o ex-presidente Lula, seu provável adversário na eleição de 2022. Segundo Bolsonaro, a atitude do francês foi uma provocação.

Leia também:Relatório da CPI da Covid vai ser entregue ao Tribunal Penal Internacional

''É muito mais do que eu mereço e mais longe do que pensei chegar. A comenda não pertence a mim, mas sim às milhares de famílias brasileiras que tiveram um amor retirado de suas vidas pela pandemia da Covid-19!'', comentou Randolfe no Twitter.

Por conta da pandemia, Randolfe receberá a comenda Légion d’honneur, uma das mais altas honrarias do país francês, na Embaixada da França em Brasília em 6 de dezembro. O senador foi vice-presidente da CPI da Covid, que atribuiu nove crimes ao titular do Palácio do Planalto.

O presidente da França já teve embates com Bolsonaro em decorrência das políticas ambientais do Brasil, principalmente as ligadas à Amazônia. Na última cúpula do G20, em Roma, os dois líderes tiveram pouca interação. Bolsonaro também já fez ofensas à esposa de Macron em 2019.

— Em 2019 demos mais um passo para fazer um acordo comercial da União Europeia e Mercosul. O grande opositor a esse acordo é o presidente da França. Em parte nós concorremos com o que produzimos para o mundo, as commodities, coisas que vem do campo. Então Macron sempre foi contra a gente, e sempre bateu na questão da Amazônia, como se ele, seus antecessores tivessem preservado alguma coisa na França. Parece que é uma provocação, sim — afirmou Bolsonaro em entrevista à Rádio Sociedade da Bahia

Na última semana, Macron recebeu Lula em Paris com honras de chefe de Estado. Durante o encontro, um dos assuntos tratados entre Macron e o ex-presidente foi acordo de livre comércio entre Mercosul e União Europeia, que está parado depois que líderes europeus pediram adendos com compromissos ambientais no texto.

O Globo, um jornal nacional: Fique por dentro da evolução do jornal mais lido do Brasil

COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Enviar