'Não use internet de quem fecha com o crime': campanha do Disque-Denúncia combate serviços clandestinos

Iniciativa surge depois de reportagem do GLOBO revelar ação de traficantes na Região Oceânica de Niterói, onde empresa chegou a ter depósito atacado

O Globo

2022-01-19 10:48:18

COMPARTILHE:

RIO — O Disque-Denúncia (21 2253-1177) lançou, nesta terça-feira, uma campanha com o objetivo de conscientizar a população sobre o uso de serviços de internet clandestinos, muitas vezes associados a milicianos ou traficantes. A iniciativa surge depois de uma reportagem do GLOBO que denunciou a atuação de bandidos no Engenho do Mato, na Região Oceânica de Niterói. Além de impedir a presença de operadoras regularizadas, criminosos vêm sabotando a rede e fazendo ameaças a funcionários.

Sete carros incendiados:  Empresa de internet que denunciou ação do tráfico em bairro de Niterói tem base atacada

Uma das empresas afetadas pelo problema, a Leste Telecom — com duas décadas de experiência em Niterói e cidades vizinhas — chegou a fazer um desabafo público nas redes sociais no último dia 30 de dezembro. 'Hoje, pela terceira vez no mês, nossas equipes foram expulsas', escreveu a operadora. 'Temos clientes com chamados na localidade, alguns por sabotagem clara na rede, e não poderemos atender', informava o texto, que prosseguia: 'Os meliantes agora impedem até a chegada em condomínios, como ocorreu hoje pela manhã'.

Veja mais detalhes:  Em bairro de Niterói, tráfico sabota rede de internet, ameaça técnicos e só permite serviço clandestino

Duas semanas depois da postagem, uma base da Leste Telecom em Itaipu, também na Região Oceânica de Niterói, foi alvo de um ataque de criminosos durante a madrugada. O local funcionava como estoque regional da empresa e atendia diversos bairros próximos, entre eles o Engenho do Mato. Um vídeo gravado por câmeras de segurança mostra pelo menos dois explosivos caseiros sendo atirados por cima do muro do imóvel, situado em uma área residencial.

De acordo com a Leste Telecom, sete carros foram incendiados e ficaram completamente destruídos. Além disso, outros equipamentos, como caixas e cabos, também foram danificados pelo fogo. O prejuízo estimado é de pelo menos R$ 350 mil. O ataque é investigado pela 81ª DP (Itaipu), que já apurava a coação de traficantes às empresas de internet no Engenho do Mato.

Em Queimados: 'Ele tinha todo o direito de viver', diz avó de menino de 6 anos morto por bala perdida

O episódio é uma das justificativas citadas pelo Disque-Denúncia para a campanha recém-lançada, que traz o mote 'não use internet de quem 'fecha' com o crime'. O objetivo, segundo os responsáveis pela ação, é estimular a população a denunciar anonimamente a ação de traficantes e de milicianos que impedem, usando ameaças ou violência, a atuação de empresas regularizadas.

Após mortes no Vidigal:  Traficantes da Rocinha estariam negociando volta de facção de Nem

— É importante que a população denuncie e ajude a polícia a enfrentar o crime organizado para proteger as atividades das empresas, o bom ambiente de negócios e os direitos dos consumidores ao serviço de qualidade — diz Pedro Borges, coordenador do Disque-Denúncia, que continua: — Contamos com a sociedade civil para denunciar, e com as lideranças políticas para nos apoiarem e adotarem as providências necessárias, de modo a impedir o prejuízo causado a essas empresas, afetando milhões de consumidores e milhares de trabalhadores, cujas atividades são essenciais para a nossa economia.

Diretor afastado: Juiz determina que secretaria identifique presos que usaram banheiro de cadeia para relações sexuais

Embora cite o exemplo do Engenho do Mato, o Disque-Denúncia frisa que o problema também vem se repetindo em diversas regiões do estado. Para denunciar, além do telefone 21 2253-1177, é possível utilizar o aplicativo do serviço. O anonimato, como de costume em todas as iniciativas do órgão, é inteiramente garantido.

O Globo, um jornal nacional: Fique por dentro da evolução do jornal mais lido do Brasil

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal

RIO — O Disque-Denúncia (21 2253-1177) lançou, nesta terça-feira, uma campanha com o objetivo de conscientizar a população sobre o uso de serviços de internet clandestinos, muitas vezes associados a milicianos ou traficantes. A iniciativa surge depois de uma reportagem do GLOBO que denunciou a atuação de bandidos no Engenho do Mato, na Região Oceânica de Niterói. Além de impedir a presença de operadoras regularizadas, criminosos vêm sabotando a rede e fazendo ameaças a funcionários.

Sete carros incendiados:  Empresa de internet que denunciou ação do tráfico em bairro de Niterói tem base atacada

Uma das empresas afetadas pelo problema, a Leste Telecom — com duas décadas de experiência em Niterói e cidades vizinhas — chegou a fazer um desabafo público nas redes sociais no último dia 30 de dezembro. 'Hoje, pela terceira vez no mês, nossas equipes foram expulsas', escreveu a operadora. 'Temos clientes com chamados na localidade, alguns por sabotagem clara na rede, e não poderemos atender', informava o texto, que prosseguia: 'Os meliantes agora impedem até a chegada em condomínios, como ocorreu hoje pela manhã'.

Veja mais detalhes:  Em bairro de Niterói, tráfico sabota rede de internet, ameaça técnicos e só permite serviço clandestino

Duas semanas depois da postagem, uma base da Leste Telecom em Itaipu, também na Região Oceânica de Niterói, foi alvo de um ataque de criminosos durante a madrugada. O local funcionava como estoque regional da empresa e atendia diversos bairros próximos, entre eles o Engenho do Mato. Um vídeo gravado por câmeras de segurança mostra pelo menos dois explosivos caseiros sendo atirados por cima do muro do imóvel, situado em uma área residencial.

De acordo com a Leste Telecom, sete carros foram incendiados e ficaram completamente destruídos. Além disso, outros equipamentos, como caixas e cabos, também foram danificados pelo fogo. O prejuízo estimado é de pelo menos R$ 350 mil. O ataque é investigado pela 81ª DP (Itaipu), que já apurava a coação de traficantes às empresas de internet no Engenho do Mato.

Em Queimados: 'Ele tinha todo o direito de viver', diz avó de menino de 6 anos morto por bala perdida

O episódio é uma das justificativas citadas pelo Disque-Denúncia para a campanha recém-lançada, que traz o mote 'não use internet de quem 'fecha' com o crime'. O objetivo, segundo os responsáveis pela ação, é estimular a população a denunciar anonimamente a ação de traficantes e de milicianos que impedem, usando ameaças ou violência, a atuação de empresas regularizadas.

Após mortes no Vidigal:  Traficantes da Rocinha estariam negociando volta de facção de Nem

— É importante que a população denuncie e ajude a polícia a enfrentar o crime organizado para proteger as atividades das empresas, o bom ambiente de negócios e os direitos dos consumidores ao serviço de qualidade — diz Pedro Borges, coordenador do Disque-Denúncia, que continua: — Contamos com a sociedade civil para denunciar, e com as lideranças políticas para nos apoiarem e adotarem as providências necessárias, de modo a impedir o prejuízo causado a essas empresas, afetando milhões de consumidores e milhares de trabalhadores, cujas atividades são essenciais para a nossa economia.

Diretor afastado: Juiz determina que secretaria identifique presos que usaram banheiro de cadeia para relações sexuais

Embora cite o exemplo do Engenho do Mato, o Disque-Denúncia frisa que o problema também vem se repetindo em diversas regiões do estado. Para denunciar, além do telefone 21 2253-1177, é possível utilizar o aplicativo do serviço. O anonimato, como de costume em todas as iniciativas do órgão, é inteiramente garantido.

O Globo, um jornal nacional: Fique por dentro da evolução do jornal mais lido do Brasil

COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Enviar