Após críticas, Gregório Duvivier aceita debate com Ciro Gomes

Humorista foi acusado de 'terrorismo eleitoral' por ter defendido que apoiadores de Ciro votem em Lula para evitar ida de Bolsonaro ao segundo turno

Correio Brasiliense

2022-05-15 01:27:11

COMPARTILHE:

Depois de ter sido acusado de fazer “terrismo eleitoral” por ter defendido que apoiadores do pré-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT), votassem no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o humorista Gregório Duvivier aceitou debater com o pedetista.

O convite foi feito por Ciro pelas redes sociais neste sábado (14/5). “Bom dia, ri bastante com suas piadas! Como você misturou também temas sérios, gostaria de convidá-lo para debatê-los, microfone aberto, e com total paridade de armas. Topa?”, desafiou.

“Se não quiser vir, aceito fazer este debate no seu programa. Pois você merece todo carinho, confiança e respeito”, continuou. “Se não topar, vou ter que, infelizmente, fazer apenas reacts. O que seria uma pena!”, finalizou.

O humorista aceitou o desafio do pedetista e afirmou que participará do evento com Ciro Gomes.

Ola! Vamos, sim. Me chama no privado pra combinar. Um abraço! https://t.co/6dAAxyjyjR

Gregório é apoiador do ex-presidente Lula. Na última edição de GregNews, programa do qual o humorista é apresentador, ele disse que votou em Ciro na eleição de 2018, mas apontou contradições no discurso do pedetista, como flertes com José Luiz Datena e Cabo Daciolo.

“Infelizmente, Ciro disse que não tem conversa (de abrir mão da candidatura). Mas o cirista tem a chave para salvar o Brasil dessa tragédia (…) O plano de vocês sempre foi tirar o Bolsonaro do segundo turno, mas a essa altura está ficando claro que só há uma maneira de tirar o Bolsonaro do segundo turno: fazer Lula ganhar no primeiro”, disse o humorista.

“Cirista, você provavelmente não vai eleger uma rosa, mas você pode contribuir para a chegada da primavera”, diz ainda, fazendo referência à frase proferida por Lula para sua militância pouco antes de se entregar à prisão, em 2018.

Após a divulgação do vídeo, Duvivier foi acusado por ciristas de “terrorismo eleitoral”.

No Twitter, o humorista rebateu: “Amo que agora pedir pra um eleitor votar em outro candidato é terrorismo eleitoral. Antigamente chamava eleições”.

COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Enviar