O Mundo É uma Bola: Gols de longa distância somem na Copa do Qatar

Na primeira rodada, ninguém marcou de fora da área; no Mundial da Rússia, 8 gols saíram de longe nos 16 primeiros jogos

Folha de São Paulo

2022-11-25 12:25:33

COMPARTILHE:

Os gols de fora da área estão em falta na Copa do Mundo do Qatar.

Encerrada a primeira rodada da fase de grupos, com a realização de 16 partidas, nenhuma das 32 seleções conseguiu comemorar um gol assinalado depois de um chute de longa distância –nem mesmo a Espanha ou a Inglaterra, que ganharam de goleada (7 a 0 e 6 a 2, respectivamente).

Todos os 41 tentos da rodada inicial, o primeiro do equatoriano Enner Valencia, de pênalti, e o último do brasileiro Richarlison, em lindo voleio, saíram do espaço em que o goleiro pode pegar a bola com as mãos.

No Mundial realizado quatro anos atrás, na Rússia, logo no jogo de abertura, em que os donos da casa golearam a Arábia Saudita –hoje com outro status, depois de superar a Argentina– por 5 a 0, já se viu um gol assim: Golovin, de falta.

Além dele, outros sete jogadores marcaram em finalizações de longe, incluindo o brasileiro Philippe Coutinho na partida de estreia da seleção, 1 a 1 contra a Suíça –que será na segunda-feira (28) o adversário do Brasil na segunda rodada da primeira fase no Qatar.

Cristiano Ronaldo, autor nesta quinta (24) de um gol de pênalti diante de Gana que fez dele o primeiro jogador a balançar as redes em cinco Copas do Mundo, no jogo de estreia de Portugal no Mundial russo, 3 a 3 contra a Espanha, marcou dois gols de fora da área.

Um guia diário no email com o que você precisa saber sobre o Mundial no Qatar.

Carregando...

A pontaria ruim, inclusive de craques como Messi e Neymar, que desperdiçaram chances em cobranças de falta, tem sido o principal fator a impedir que as seleções marquem de fora da área.

As tentativas ocorreram, só que a bola ia torta –um monte de vezes, subiu e parou nas mãos de torcedores que estavam em um dos oito estádios da Copa, sentados atrás de um dos gols.

Outros chutes feitos a uma distância superior a 16,5 metros tiveram os goleiros como barreiras ou foram desviados pelos defensores.

E houve as ocasiões em que a trave mostrou-se inimiga de quem arriscou de longe, casos dos brasileiros Alex Sandro e Casemiro no 2 a 0 contra a Sérvia e do uruguaio Valverde no 0 a 0 diante da Coreia do Sul.

Nesta sexta (25), as mesmas 32 seleções iniciam a segunda rodada, e o desafio de ser o primeiro a festejar um gol em um tirambaço está de pé.

COMPARTILHE:

COMENTÁRIOS

PUBLIQUE UM COMENTÁRIO

Enviar